• Carreiras Verdes

Entrevista: Daniela de Almeida, médica veterinária e agente da polícia federal



Conheci a Dani há alguns anos atrás pelo Instagram e rapidamente percebi seu engajamento genuíno com a proteção ambiental e as causas de proteção animal.

Com ela aprendi um pouco mais sobre o trabalho da polícia federal que, em grande parte, é sigiloso.

Ao longo da entrevista vocês aprenderão sobre algumas premissas do trabalho da polícia federal, atribuições específicas sobre a atuação no âmbito ambiental e a urgência de entendermos que compartilhamos, com os órgãos federais, a responsabilidade na proteção do meio ambiente.

Gostaria de agradecer a disponibilidade da Daniela em responder a entrevista.

É uma honra para mim ter a sua contribuição nesse projeto!


Nome: Daniela de Almeida

Formação: Medicina Veterinária

Daniela é mestranda em Saúde, Medicina Laboratorial e Tecnologia Forense pela UERJ e agente da Polícia Federal há 17 anos.


Sobre a atuação da Polícia Federal em âmbito ambiental: a polícia federal, dentre outras áreas de trabalho, atua em crimes ambientais federais, como delitos internacionais de poluição ambiental e de tráfico de animais, em crimes contra a fauna e a flora cometidos em Unidades de Conservação da União em atividades pesqueiras e poluição de águas sob jurisdição federal. (Informações retiradas do site da polícia federal).


1- Conte um pouco sobre o início da carreira como policial.

No início da carreira, não tive tanta dificuldade, nem mesmo de adaptação. Quando decidi fazer o concurso da PF, estava bastante ciente do que iria encontrar pela frente. Sabia que iria morar no Norte e, consequentemente, ficar longe da minha família e de pessoas queridas, mas isso não impediu que eu buscasse alcançar o objetivo de ingressar nessa Instituição.


2- Você sempre quis ser agente policial e atuar na área ambiental? Comente um pouco sobre como foi despertando em você o interesse por esse trabalho.

Sempre gostei da área ambiental, o que justificou que a minha formação se desse na área de veterinária. Assim, executando um trabalho na ONG Fala Bicho, descobri que a PF tinha uma delegacia especializada em crimes ambientais, a DELEMAPH (Delegacia de Meio Ambiente e Patrimônio Histórico). A partir daí, decidi prestar o concurso público para essa Instituição.


O interessante é que, mesmo sabendo da existência da PF, o que fez com que eu me interessasse em conhecer melhor tal Instituição foi o fato de saber que lá havia uma delegacia com tal especialização. Isso me motivou sobremaneira a estudar intensamente para prestar o concurso público para poder trabalhar num local em que eu pudesse desempenhar uma função relacionada à minha área de formação e, principalmente, uma área com a qual eu me identificava muito.


3- Quais são as atividades rotineiras de um agente da policial federal lotado em uma delegacia de combate aos crimes ambientais?

A PF é a Polícia Judiciária da União, ou seja, é a Instituição encarregada, fundamentalmente, de apurar fatos já ocorridos. Então, como em qualquer crime, o agente atua na produção e coleta de provas, auxiliando o delegado na resolução da autoria e da materialidade do delito.


4-Quais habilidades que você considera indispensáveis para atuar como agente na polícia federal?

Para atuar em qualquer instituição de forma eficiente é fundamental, em primeiro, que haja dedicação intensa no desempenho de sua função. No caso específico da PF, além da dedicação, é mister que o profissional tenha disciplina e senso de hierarquia, pois se trata de uma instituição cujo trabalho essencial se dá na área de segurança pública.


Também é muito importante que o agente público policial federal que deseja ser eficiente, eficaz e efetivo se preocupe em atualizar-se permanentemente, principalmente no que concerne às táticas e estratégias relacionadas à atuação daqueles agem de encontro à ordem e ao interesse públicos.


5- Quais conhecimentos técnicos são fundamentais para essa área de atuação?

Para ingressar na Polícia Federal, é preciso submeter-se a um concurso público para o cargo de Agente da Polícia Federal, para o qual é exigida a conclusão de nível superior em qualquer área.


Para o referido cargo, na avaliação por prova escrita objetiva e discursiva, são exigidos, basicamente, conhecimentos de Língua Portuguesa, de Direitos Constitucional, Administrativo, Penal, Processual, Contabilidade, Informática, etc. Sugiro que o interessado em ingressar na PF leia o edital do último concurso.


Especificamente, para atuar em quaisquer das áreas nas quais a PF tenha delegacia especializada, o profissional tem a oportunidade de aperfeiçoar os seus conhecimentos técnicos ao mesmo tempo em que adquire e aprofunda a sua experiência, ou seja, esse profissional tem a possibilidade de adquirir know-how no natural desempenho de sua função.


6- Você acredita que teve mais dificuldades ou sofreu preconceitos por ser mulher e atuar como policial?

Nunca percebi de algum colega de trabalho ou de um superior hierárquico alguma atitude mais incisiva que pudesse ser caracterizada como uma discriminação de gênero em função do cargo ocupado.

Geralmente, observam-se, principalmente em ambiente em que há predominância de homens, aquelas brincadeiras machistas, muitas vezes objetificando as mulheres, mas isso não é regra. Tenho a sorte de trabalhar com pessoas incríveis, que se atêm ao desempenho de sua função.


Acrescento ainda que todo ato discriminatório deve ser repudiado, ensejando até mesmo ações criminais.


7- Na sua opinião, quais são as contribuições sociais e ambientais mais importantes do trabalho ambiental?

A polícia, com seu trabalho de repressão aos crimes ambientais, colabora com a dissolução de organizações criminosas que atuam na destruição do meio ambiente.


Todo trabalho na área ambiental, seja policial, de fiscalização, de educação, de recuperação de áreas degradadas, é um trabalho social, que minimiza os impactos negativos que o homem provoca ao meio ambiente, permitindo uma melhor qualidade de vida.


Esse trabalho poderá ser otimizado caso os nossos legisladores produzam normas que sejam mais rigorosas no combate a diversos crimes ambientais.


8- Analisando os seus anos de carreira, o trabalho na área ambiental modificou crenças, valores ou percepções sobre a preservação do meio ambiente?

A minha experiência como policial federal me fez ter certeza da importância da conscientização das pessoas para o respeito a todos os seres da natureza.

Nesse sentido, importa a manutenção e a intensificação de um trabalho repressivo, que dê conta de punir aqueles que transgridem as normas legais e sociais de convívio com o meio ambiente.


Também cabe destacar a relevância da existência de uma ação preventiva na área ambiental, que possa evitar a ocorrência de crimes a partir da consciência de todos quanto à imprescindibilidade do nosso convívio harmonioso com os demais entes que compõem a natureza, pois a destruição do planeta representará a destruição do próprio ser humano.


9- Como é atuar em defesa do meio ambiente que, tradicionalmente, tem seus direitos pouco reconhecidos e é uma entidade pouco valorizada no Brasil?

É inegável que a atuação na área ambiental torna-se ainda mais difícil do que em outras áreas, principalmente pelo fato de que ainda não há uma consciência social geral quanto à importância do meio ambiente para a existência do mundo como o conhecemos hoje.


De uma maneira geral, as pessoas, por serem normalmente muito imediatistas e egoístas, não percebem o quanto uma atitude individual, como, por exemplo, a de jogar objetos nos rios, pode afetar, de alguma forma, a sua vida. Se o que a pessoa faz agora não a afeta de forma imediata, ela não é tomada de preocupação a ponto de mudar a sua visão e, principalmente, a sua atitude.

Assim, o profissional que atua na repressão aos crimes ambientais precisa da colaboração do maior número possível de entidades e de pessoas que possam estimular o ser humano a entender que a sua existência depende da preservação do meio ambiente como um todo.

10- Quais conselhos você daria às pessoas que desejam entrar para PF e atuar na DELEMAPH (Delegacia de Meio Ambiente e Patrimônio Histórico)?

Primeiramente, quem deseja entrar para a Polícia Federal (PF) e deseja atuar na DELEMAPH deve, antes de tudo, prestar um concurso para a Instituição PF, pois não existe um concurso específico para a DELEMAPH. Em outras palavras, para trabalhar na área ambiental da PF há, como pré-requisitos, a prestação de concurso e a aprovação para o cargo.


Além disso, o profissional policial deve ter ou buscar desenvolver, basicamente, as seguintes qualidades: dedicação, disciplina e senso de hierarquia. Como todo profissional que deseja atuar com eficiência, eficácia e efetividade, deve também ser uma pessoa sempre propensa a manter-se atualizada relativamente aos temas gerais e, principalmente, no que concerne aos temas relacionados à sua área de atuação.


11- Como a sociedade pode colaborar com o trabalho da polícia federal na preservação ambiental?

As entidades policiais em geral trabalham com denúncias abertas ao público, disponibilizando diversos canais para esse fim, tais como: internet, telefone, presencial e até aplicativos específicos.


Pequenas atitudes devem fazer-nos refletir acerca da urgência de se compreender o quão importante é e se torna cada vez mais a nossa convivência harmônica com o meio ambiente, pois dele fazemos parte e dele dependemos para a nossa existência.

Entre tais atitudes, podemos citar a de separar o lixo para reciclagem, a de evitar uso de descartáveis, a de diminuir o consumo, principalmente de supérfluos, a de jamais comprar animais silvestres, entendendo que todos têm sua função ecológica e que a retirada de um exemplar da natureza já causa dano; e a de entender que só a presença humana no planeta já causa um grande impacto.

A reprodução das informações dessa entrevista devem respeitar os direitos autorais.

Ao compartilhar qualquer informação contida nesse texto respeite a veracidade da escrita dos autores e faça referência à essa publicação.

547 visualizações0 comentário